FANDOM


Piloto é o episódio 0 da série.

Sinopse Editar

O episódio começa com o trem infinito que atravessa em estradas de ferro através de algum tipo do wasteland estéril. A câmera então começa a girar em direção a Tulip no Puzzle Car, passando por Bubble Car eo Chess Car.

ResumoEditar

Dentro do Vagão dos Enigmas, Tulip pergunta por que o número 53 estava ainda em sua mão após uma semana num Trem Desconhecido. One-One, em cima de uma balança, pergunta-lhe o que significava, mas a questão foi desviada de volta para ele quando Tulip disse que tinha vivido toda a sua vida dentro do trem e ela só esteve aqui por um curto período de tempo. Sad-One responde que a pergunta nunca pode ser respondida. Mesmo quando Tulip começa a se agitar cada vez mais com o número na palma da mão, ela instrui One-One que o interruptor para abrir a porta é um equilíbrio e que tinha de ser em ambos os lados. One-One, em seguida, separa-se para equilibrar a escala, causando uma plataforma para aparecer que provoca uma reação em cadeia de um engenho para destrancar a porta que conduz ao próximo carro de trem. One-One afirma pessimisticamente que o próximo vagão vai ser o Vagão de Gases afirmando que seria apto para a sua miséria, para que a outra personalidade felizmente concorda com o outro. Tulip então repreende Sad-One por ser muito pessimista, mesmo depois de 8 carros e que era muito improvável. Tulip é provada então errada quando abre a porta do vagão seguinte, encontrando o suficiente para ser um vagão de gases.

Após sair do Vagão de Gases, Tulip libera sua respiração, e cospe afirmando que o vagão era grosseiro e questiona a sua existência. Sad-One então pessimisticamente afirma que o próximo carro vai ser um Vagão de Arrotos. Ela, otimista, afirma que talvez o próximo vagão possa ser a réplica de uma pizzaria que serve apenas pizza fria. Segurando a maçaneta da porta para o próximo vagão, ela diz humildemente que poderia ser um caminho para casa.

Enquanto Tulip abre a porta, os olhos fechados na esperança de que era um caminho para casa, ela é recebida por uma bela paisagem de uma vista de beira rio, cheia de Corgis (População de cachorros local), completo com edifícios semelhantes às estruturas gregas. Glad-One pergunta a ela se esta era a casa de Tulip, ela responde com um não. Um cone em formato de chifre é soprado então por um corgi sobre alguma pilha das rochas, sinalizando a chegada de seu rei. O rei se senta em cima de um trono carregada por quatro corgis diferentes. O rei apresenta-se como Atticus, Rei e responsável pela união dos Cardigans e Pembrokes, e ele se aproxima Tulip e One-One. Após suas apresentações, Atticus dá ao trio uma excursão de seu reino. Tulip então elogia Atticus pelo seu avanço em sua sociedade.

Tulip derruba então a oferta de Atticus de um lugar para relaxar e diz-lhe que está procurando apenas a porta assim que pode permitir a mesma ir para casa. Atticus revela que a porta ao lado está bloqueada, mas antes que ele possa dizer-lhe o que ele sabe, outro Corgi adverte Atticus que o rio está inundando novamente. Atticus emite um comando para ir dentro do templo afirmando que o monstro retornou. Mas antes que Tulip possa questionar sobre o monstro, uma sombra gigantesca sobressai sobre o céu, Glad-One então, supõe que seja um fantoche de sombra. Pegando One-One, Tulip então corre em direção ao templo, onde os outros cães também estão procurando refúgio. Enquanto Tulip faz perguntas sobre o monstro, Atticus responde que ele mesmo não sabe. Glad-One, em seguida, sugere voluntários para irem para fora para verificar se o monstro ainda está lá e procede a separar com Sad-One, mesmo após o protesto da Tulip. Sad-One então se oferece para escrever o obituário de Glad-One, ao qual Atticus comenta a morbidade de Sad-One.

Glad-One então aparece na sala gritando, só para dizer que o monstro se foi. Atticus então diz que eles devem ir para fora. Tulip, gemendo, da excitação de Glad-One e da explosão desnecessária anterior, começa a sair, só para voltar para dentro devido a Atticus não sair do templo. Depois de uma cena em que Tulip cativa um atípico Atticus para sair, Atticus então revela que o monstro tem retornado ao seu reino por cerca de uma semana, ao mesmo tempo Tulip tem sido no trem. Atticus então alista ajuda de Tulip em conquistar o monstro como pode haver alguma correlação com os números e o monstro. Tulip discorda em primeiro lugar devido à natureza dos dois eventos sendo improvável estar relacionado.

Tulip retorna ao lado de Atticus e diz-lhe que ajudará. Depois de uma cena curta onde em um Atticus é carregado ao outro lado do rio pelos esforços de Tulip, começam então atravessar através de um campo gramíneo e escalar uma montanha rochosa. Chegando ao topo, a Tulipa e o resto vêem a porta, mas à medida que se aproximam, a sombra do monstro começa então a pairar sobre o céu. A turma então se esconde atrás de uma pedra, só para ver que o monstro era apenas a sombra de uma aranha em uma luz de trabalho. A tulipa então aproxima-se da luz e pega a aranha enquanto ela oscila de sua teia, apenas para ser comida por Atticus afirmando que o monstro foi destruído, para o desgosto de Tulip e One-One.

Tulip então olha para sua mão, com esperança de que isso mude, ela vê furiosamente que não mudou nada e começa a pensar sobre seu infortúnio. Sentindo-se triste, Tulip senta em uma pedra. Atticus, em seguida, senta ao lado de Tulip para conforta-la, dizendo ela só precisa de um impulso para deixar ela em pé novamente, e diz que ela é seu impulso. A menina, em seguida, agradece Atticus por seu conselho e faz cócegas na barriga dele. Então, ela começa a inferir, dizendo que se a aranha que causou a sombra, ela começa a se perguntar por que o nível d'água subiu. Nesse momento, Tulip avista uma luz ao seu lado.

Escondidos em um arbusto, eles veem The Steward trabalhando em um engenho, que quebrou um tubo d'água, fazendo a água subir. Tulip infere que a besta quebrou a tubulação, a tulipa pergunta para Atticus como abrir a porta, e ele dá instruções de como abrir uma porta. Glad-One sai da mota e tenta falar com The Steward, que percebe a presença deles e atira várias balas por tubos que saem de seus olhos. Enquanto se escondem em um pedregulho, Atticus tenta atacar o comissário de bordo, que joga ele em uma parede, então, Tulip grita o nome de Atticus, revelando sua posição para The Steward e logo corre em direção a porta do vagão.

Á medida que The Steward se aproxima de Tulip, ela tropeça e cai, então Steward diz: "Retorne para seu assento", então, Atticus, recuperado de sua queda, empurra uma alavanca que faz a água da tubulação quebrada parar de fluir. Isso serve como uma distração para The Steward, que desvia sua atenção de Tulip, dando tempo para ela bater a porta na cara do inimigo, que é revelada como uma máscara e revela o funcionamento interno por trás da máscara, composta de engrenagens, fios e um lança chamas que está jorrando chamas azul neon. A besta, atodoarda, amarra uma de suas pernas-cabos na perna de Tulip, a fazendo cair e derrubar seu saco, então, One-One sai do saco e pergunta se ele deve começar a escrever seu obituário, a besta então desenrola seus cabos da perna de Tulip e escapa por um buraco no céu do vagão.

Atticus volta ao lado de One-One, que pergunta para Tulip o que está errado. Então, Tulip diz que finalmente encontrou seu impulso, e o número em sua mão muda de 53 para 49, olhando para o buraco no céu do vagão.

Personagens Editar

LocaisEditar

Curiosidades Editar

  • Esse é o piloto da série.
  • O nome do The Steward nunca foi mencionado no episódio por ninguém, ele só foi referido como The Steward nos créditos.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória